Fatos Históricos » Contexto Histórico da Comunicação

Sobre Contexto Histórico da Comunicação:

Escola de Jornalismo torna-se Famecos em 1965

Escola de Jornalismo

Dia 1° de dezembro de 1965, a Escola de Jornalismo da PUCRS, fundada no ano anterior, é transformada em Faculdade dos Meios de Comunicação Social (Famecos), atendendo orientação do Concílio Vaticano II, iniciado em 25 de dezembro de 1961, pelo papa João XXIII (1881-1963) e concluído oficialmente em 8 de dezembro de 1965, pelo papa Paulo VI (1897-1978). Em plena Guerra Fria, nos anos 60, com o mundo dividido entre nações lideradas pelos Estados Unidos e pela União Soviética, capitalismo e comunismo, a Igreja recomendou às Escolas e Universidades Católicas do mundo, responsáveis pela formação humana, para desenvolverem uma visão espiritual, científica e moral cristã, capaz de fazer frente à dicotomia estabelecida.

A expressão “meios de comunicação social” foi cunhada pelo decreto “Inter Mirifica”, aprovado pelo Concílio em 4 de dezembro de 1963, com o objetivo de que a Igreja se inserisse na comunidade de informação e suas escolas formassem comunicadores com uma visão cristã. “Pronuncia-se sobre os meios de comunicação de massa, sem julgá-los de forma moralista, mas solicitando-se a se tornarem admiráveis dons de Deus, respeitando o bem comum de todo o homem”, escreve explicitamente o decreto papal.

Em mensagem encaminhada diretamente à Universidade Católica do Chile, mas válida para todas as instituições, disse Paulo VI: “A missão que corresponde à Universidade é fazer frente às grandes necessidades de nossa época. Pensamos sempre na missão incomparável e insubstituível da Universidade no quadro da vida de uma nação como comunidade de mestres e estudantes, à qual é dado expressar as vozes mais altas e qualificadas de um povo, que lembra sua história, que é consciente de sua vida e tende a seu progresso espiritual. Pensamos na Universidade como laboratório da cultura, da investigação, da exploração científica, da meditação filosófica, da manifestação artística, numa Universidade oficina do pensamento. Pensamos da Universidade como uma escola de alta formação cultural e moral.” Ao citar Lucas (“iluminar a todos que se encontram nas trevas, para dirigir nossos passos no caminho da paz”), o papa concluiu que a missão da Universidade é satisfazer a grande necessidade contemporânea de união dos espíritos na Justiça, manter as relações humanas dentro do Direito, em clima de Caridade para “promover o desenvolvimento especialmente dos mais fracos, apoiados pela fraternidade universal, exigência da natureza humana”.

Concílio Vaticano II orientou as universidades católicas a criar faculdades dos meios de comunicação social e a PUCRS foi das primeiras a seguir a recomendação

O reitor José Otão decidiu acatar imediatamente a recomendação do Concílio, com a transformação da Escola de Jornalismo, criada em 1964, em Faculdade dos Meios de Comunicação Social (Famecos). Desde o início do ano de 1965, a unidade, oferecia, além da formação em Jornalismo, o Curso de Propaganda (sem usar ainda o termo Publicidade).

O professor e jornalista Cláudio Candiota, que dirigiu a Escola de Jornalismo durante os dois anos em que funcionou, nos anos letivos de 1964 e 1965, continuou como diretor quando a unidade foi transformada, em 1° de dezembro, em Faculdade dos Meios de Comunicação Social (Famecos). Foi escolhido para secretário o irmão Sérgio Minúscoli.

 

 

Curso(s):

Década(s) de referência: 1960

Ano de referência: 1965

Produção do material sobre este evento: Tibério Vargas Ramos

Dados cadastrados por: Milena Nyland

Post publicado em: 22 de maio de 2015