Personalidades » Claudia Peixoto de Moura

Claudia Peixoto de Moura, a memória personificada

Desde jovem, Claudia Peixoto de Moura, conhecida no ambiente acadêmico por Claudia Moura, manifestou o desejo de ser professora. Em caixas de papelão costuma armazenar dezenas de documentos. Para ela, “cada documento revela a história de seu tempo”. Tempo que merece ser contado para as gerações futuras. Tempo que se traduz em memória, em relato fundamental para os estudos da história”. Além de ser uma aficionada pela área – é coordenadora do Núcleo de Comunicação e Memória  Institucional da Famecos –, a professora Claudia é formada nas três habilitações da Comunicação Social – Publicidade e Propaganda (1979), Jornalismo (1980) e Relações Públicas (1984). A especialização nas três áreas foi completada em 1981, 1982 e 1986, respectivamente. Todos os cursos foram realizados na PUCRS, onde a coordenadora também concluiu o mestrado em Sociologia, em 1990. É doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2000) e pós-doutora pela Universidade de Coimbra, em Portugal.

Desde 1984, Cláudia Moura é professora na Famecos. Nove anos depois foi convidada a fazer parte do grupo de professores que se dedicou ao planejamento do mestrado, cuja aula inaugural ocorreu em março de 1994, ministrada pelo professor português Adriano Rodrigues. O Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da PUCRS (PPGCOM) foi criado cincos anos depois, quando o doutorado se estabeleceu. O PPGCOM é o primeiro do Sul do país, o que atraiu muitas pessoas de outros estados à faculdade.

“O programa está muito bem posicionado. Foi um dos 20 primeiros no país e o primeiro da região Sul. Na época, muitas pessoas de outros estados vieram estudar na PUCRS, pois era uma das poucas universidades que possuía um mestrado na área, ajudando a consolidar o campo da comunicação.”

“Cada documento revela a história do seu tempo e pode ser trabalhado a partir da perspectiva comunicacional”.

 

ENTREVISTA

Núcleo de Memória: Desde quando você está na Famecos?
Claudia Moura:
Entrei aqui na Famecos em março de 1976, como aluna de Publicidade. Depois cursei Jornalismo, e aí fui fazer pós-graduação. Foram duas especializações, uma em Publicidade e Propaganda e outra em Jornalismo, antes de cursar Relações Públicas. Comecei a trabalhar como assessora de comunicação, em 1981, na Sogipa. O departamento de assessoria de comunicação estava começando e eu senti vontade de fazer Relações Públicas, pois faltava este conhecimento para compreender uma instituição que possuía diversos objetivos, como a parte cívica-cultural, com a cultura alemã, a parte esportiva, com o esporte amador, a parte social, com vários eventos direcionados a públicos distintos. Enfim, foi bem interessante, foi uma experiência bem boa.

Núcleo de Memória: Como foi cursar Relações Públicas depois de já ser diplomada em outras duas áreas da comunicação?
Claudia Moura:
Fiz Relações Públicas em um ano e meio, porque o curso tinha uma parte comum grande com Jornalismo e Publicidade. Depois cursei a especialização na área. Comecei a dar aula aqui em agosto de 1984. Entrei em 1976 como aluna, e em agosto de 1984 como professora, ano em que me graduei em Relações Públicas. Em 1988, eu fui para a coordenação do Departamento Ciências da Comunicação, onde fiquei muitos anos, até 1994. Como eu tinha formação em todas as áreas, podia entender bem os problemas dos alunos com habilitações diferentes. Sempre gostei de estudar, então fiz o mestrado aqui e depois morei em São Paulo para cursar doutorado.

Núcleo de Memória: Como foi o início do curso de Pós-Graduação?
Claudia Moura:
Fui convidada para participar de um grupo de docentes que pensou o nosso mestrado. Todos os professores da Famecos que tinham mestrado ou doutorado participaram deste grupo, sendo poucos na época. Esta equipe planejou o curso de mestrado. Em março de 1994, iniciou a primeira turma do mestrado. Algumas matérias eram dadas por professores de outras áreas, pois os da Famecos ainda estavam se qualificando. Quem ainda não possuía doutorado foi realizar o curso em outra universidade. Em agosto de 1999 foi lançado o nosso doutorado que se transformou em Programa de Pós Graduação. Passei a ser um membro da Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação. Na época havia um movimento da comunidade acadêmica para que houvesse programas de pós-graduação. À medida que o curso foi avançando, outros professores foram se agregando ao corpo docente. Atualmente, temos em torno de 20 professores, cada um pesquisando uma área especifica.

Núcleo de Memória: Quais áreas/disciplinas você já ministrou?
Claudia Moura:
Na pós-graduação, sempre ministrei Metodologia de Pesquisa em Comunicação, que é uma disciplina obrigatória. Também já ministrei uma disciplina chamada Pesquisa nas Organizações, por uma vez apenas. Na graduação, fui professora das disciplinas Projeto Experimental de Pesquisa, nos cursos de Relações Públicas e de Publicidade e Propaganda, além de Monografia I e Métodos de Pesquisa em Comunicação para os três cursos. E o Estágio Interno em Relações Públicas que colabora com o Núcleo de Comunicação e Memória Institucional.

Núcleo de Memória: Qual a relevância do Programa para a área da Comunicação?
Claudia Moura:
O Programa está muito bem posicionado. Foi um dos 20 primeiros no Brasil. Ele foi o primeiro do sul do país. Na época, muitas pessoas de outros estados vieram estudar na PUCRS, pois era uma das poucas universidades que possuía o curso e uma boa avaliação.

Núcleo de Memória: Quais temáticas representam o Programa na comunidade acadêmica?
Claudia Moura:
As linhas de pesquisa do Programa são vinculadas à Comunicação, à Cultura e à Tecnologia. O tópico Cultura orienta as pesquisas e as práticas acadêmicas. As tecnologias também são muito trabalhadas em relação ao imaginário e às mídias, contemplando as duas linhas de pesquisa existentes.

Núcleo de Memória: Cite fatos marcantes vivenciados no pós-graduação.
Claudia Moura:
Um fato marcante ocorreu quando recebemos a visita da CAPES para fazer a avaliação do curso novo. Nesta avaliação houve uma discussão teórica a respeito das áreas, das linhas de pesquisa e da condução do processo. Outro fato marcante é a possibilidade de recebermos pesquisadores estrangeiros que, semestralmente, realizam seminários na PUCRS. Ainda há as parcerias estabelecidas que promovem nossos alunos e nossos estudos. Por exemplo, depois que voltei de Coimbra, dois alunos nossos já foram fazer doutorado lá. Estas parcerias abrem caminhos e trazem experiências de vida. Conhecer culturas diferentes é um fato marcante, pois ninguém volta igual.

 

Curso(s): , , ,

Década(s) de referência: 1970, 1980, 1990, 2000, 2010

Vínculo Famecos: Aluno, Professor, Coordenador

Graduação em: Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, Famecos/PUCRS (1979), Comunicação Social – Jornalismo, Famecos/PUCRS (1980) e Comunicação Social – Relações Públicas, Famecos/PUCRS (1984).

Especialização em: Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, Famecos/PUCRS (1981), Comunicação Social – Jornalismo, Famecos/PUCRS (1982) e Comunicação Social – Relações Públicas, Famecos/PUCRS (1986).

Mestrado em: Sociologia, PUCRS (1990).

Doutorado em: Ciências da Comunicação, Universidade de São Paulo (2000). Pós-doutorado em Ciências da Comunicação, Universidade de Coimbra, em Portugal (2009).

Produção do material sobre esta personalidade: Memória Famecos

Edição do material: Tiberio Vargas Ramos e Luciano Klockner

Dados cadastrados por: Silvana Sandini

Post publicado em: 8 de março de 2014