Personalidades » Jacques Wainberg

Jacques Wainberg, a união da História como o Jornalismo

História é o primeiro curso de graduação de Jacques Wainberg, concluído em 1979. Mas, a paixão pela Comunicação se expressou mais alto. Em 1985, graduou-se em Jornalismo e seguiu estudando no mestrado, doutorado e pós-doutorado em Comunicação. Jornalista profissional de carreira consolidada, hoje é pesquisador, professor de graduação e pós-graduação na PUCRS, com passagens pela Unisinos. Obteve título de mestre em Jornalismo pela Universidade da Carolina do Sul (EUA), em 1990, de doutor em 1996, na Universidade de São Paulo (USP) e de pós-doutor em 2004, na Universidade do Texas (EUA).  A vontade de ser docente surgiu ainda jovem, estimulado por um professor. Jacques começou a dar aula na escola em que fazia o Ensino Médio.

Jacques Wainberg sempre quis dar aulas na Famecos. Em 1985, por pouco a meta não se concretizou. Ao voltar dos Estados Unidos, decidiu tentar lecionar na faculdade, mas naquele momento não tinha vaga. Ficou frustrado. Passadas duas semanas, recebeu um telefonema da vice-diretora na época, professora Doris Fagundes Haussen, dizendo de que uma vaga estava aberta.

Para o professor, a Famecos se tornou seu segundo lar, pois recebeu nesta casa apoio, condição de trabalho, acolhimento e encontrou sua vocação acadêmica. Hoje, Jacques leciona na graduação e no programa de pós-graduação, onde é responsável pela disciplina História da Comunicação e Paradigmas Teóricos.

“Tenho tripla missão na universidade: a primeira é a docência no curso de graduação, a segunda atividade é de pesquisa e a terceira nos cursos de extensão. Terminada a aula da graduação, temos outras tarefas como a missão de dar aulas na Pós-Graduação e orientar alunos dos cursos de Doutorado e Mestrado. Paralelamente, efetuamos pesquisas e temos ainda a obrigação de publicar alguns trabalhos por ano. Somos avaliados por este trabalho da mesma forma que os alunos são avaliados na graduação.”

 “Outra tarefa nossa é de atender a demanda da comunidade. Fizemos palestras fora da Universidade, atendemos curso de especialização que não são da Famecos, em alguns semestres, cursos internacionais que são tarefas de extensão.”

 “Uma instituição sem história é semelhante a uma turma sem alunos. Com a globalização, os públicos são muito exigentes. É necessária uma memória institucional. Então, quando uma empresa tem esse algo a mais, sempre é muito importante. É preciso saber usar este diferencial.”

 

ENTREVISTA

Núcleo de Memória: Professor, qual a medida der sua dedicação à Famecos?
Jacques Wainberg:
Eu faço parte dos professores de Pós-Graduação, então eu tenho tripla missão aqui na universidade, a 1ª é a docência no curso de graduação, a 2ª é a minha atividade como pesquisador e a 3ª a minha atividade na extensão. Então, muitas das vezes os alunos da graduação não têm ideia de que nós temos uma atividade muito facetada, eles pensam que a minha, a nossa tarefa é simplesmente dar aulas para eles na graduação. Terminando a aula da graduação, a gente vem para nossa sala onde tem outras tarefas que nos esperam, e como professor de pós-graduação. Nós temos a missão de dar aulas na Pós-Graduação e orientar nossos alunos que são nossos orientandos de curso Doutorado e Mestrado, paralelamente é isso, nos efetuamos pesquisas, nós temos uma obrigação de publicar certo número de trabalhos ao ano, somos avaliados por esse trabalho da mesma forma que os alunos são avaliados na graduação. Os professores que fazem parte da Pós são avaliados por regra de instrumento. A gente recebe uma pontuação e temos que conseguir uma pontuação mínima para permanecer no grupo de pesquisadores. Da mesma forma, o programa de pós-graduação é avaliado pelas autoridades nacionais, em função disso, recebe uma nota. Esse grau é resultado da tarefa conjunta de todos os professores-pesquisadores, isso corresponde a certa nota que dá um prestígio, um certo status ao programa de pós-graduação em nível nacional. É isso que explica o fato de nós constantemente estarmos pesquisando e escrevendo artigos acadêmicos e livros. Essa produção confere uma nota ao professor do programa.

Núcleo de Memória: E esse material todo é divulgado mensalmente ou anualmente?
Jacques Wainberg:
Nós somos avaliados anualmente, nós preenchemos um relatório, em que informamos o que escrevemos e foi publicado e a autoridade universitária referenda ou não se nosso desempenho na pós-graduação é adequado. A 3ª tarefa é atender a demanda da comunidade, a gente dá muitas palestras fora da Universidade e a atende a demandas de cursos de especialização. Em muitos semestres dei cursos fora da Famecos, alguns internacionais, com a tarefa de extensão. Atendemos solicitações da comunidade para palestras, em vários locais, universidades, instituições civis. Isso também faz parte. São atividades que preenchem plenamente a carga de trabalho. Ainda somos obrigados a ter alunos de iniciação científica, ensinando pesquisar. A gente atende alunos de graduação, pós-graduação, dá palestra, escreve, é isso que ocupa o meu dia todo aqui.

Núcleo de Memória: O senhor é formado em História pela PUCRS, em Economia pela Unisinos e em Jornalismo pela Universidade da Flórida. Quais outros cursos que há na sua bagagem?
Jacques Wainberg: Nos Estados Unidos, a primeira vez que fui, já era formado em História. Aí fui estudar Jornalismo. Havia ganhado uma bolsa de estudos. Posteriormente, eu vim de numa outra bolsa de mestrado em jornalismo na Universidade de Carolina do Sul, EUA. Depois ganhei uma terceira bolsa para fazer Doutorado na Universidade de São Paulo, a USP. Agregada a ela, havia uma bolsa-sanduiche. Essa bolsa propiciou que eu fizesse um curso no Texas. Depois, obtive uma quarta bolsa para Pós-Doutorado. Também fui para o Texas. E estou planejando realizar um segundo Pós-Doutorado.

Núcleo de Memória:  Como o senhor decidiu ser professor?
Jacques Wainberg: Fui estimulado pelo meu orientador na escola e logo o diretor percebeu, digamos o meu perfil, e avaliou que eu tinha saber adequado para ser docente e me contratou. Era uma coisa muito curiosa: eu tinha aula no terceiro andar da escola. Quando terminava a minha aula corria ao primeiro, no mesmo prédio. E me tornei docente em função desse curso. E até hoje tenho um carinho pela História. Paralelamente eu também tinha um carinho pelo Jornalismo. Comecei a trabalhar como jornalista em certo momento da vida profissional e comecei a me interessar por temas mais teóricos da área e isso me levou também a fazer pós-graduação na área do Jornalismo.

Núcleo de Memória: E a Famecos tem um peso na sua vda profissional?
Jacques Wainberg:
Eu tenho uma linda imagem da Famecos, há 26 anos. Realmente é o segundo lar que eu tenho. Um espaço que me apoiou, deu condição de trabalho, me estimulou, me acolheu com muito carinho e eu pude encontrar a minha vocação de expressar a minha vocação de acadêmico. Eu acho que nasci para isso (ser professor). Aqui eu me realizo, é um espaço que me deu paz, segurança, condição de trabalho e, eu sou muito feliz aqui.

Núcleo de Memória: Uma curiosidade: o senhor se formou na História aqui na PUCRS por que não escolheu ser um historiador e foi mais para área da comunicação?
Jacques Wainberg:
Na verdade, a vida acadêmica aglutina todas essas outras áreas. Já fiz trabalho historiográfico na área de comunicação. Meu trabalho de Doutorado foi um trabalho historiográfico, só que numa temática da comunicação. Depois fiz outros trabalhos de pesquisa que tem uma temática de comunicação, além de um levantamento que foi a história da telecomunicação brasileira, no livro Casa Grande e senzala: Antena parabólica. Na vida acadêmica a gente não exclui saberes, a gente aglutina saberes. Não há nenhum problema o fato de ter tido uma formação em História e trabalhar em comunicação. A comunicação é uma área interdisciplinar, nós temos cientistas políticos, temos filósofos. Em termos de formação, não há contradição entre uma coisa e outra.

 

Curso(s): , ,

Década(s) de referência: 1980, 1990, 2000, 2010

Vínculo Famecos: Professor

Graduação em: História, PUCRS (1979); Comunicação Social – Jornalismo, Universidade da Flórida, Gainesville (1985).

Mestrado em: Jornalismo, Universidade da Carolina do Sul, EUA (1990).

Doutorado em: Comunicação, USP (1996). Pós-doutorado em Comunicação, Universidade do Texas, EUA (2007).

Produção do material sobre esta personalidade: Deocliciana Gomes Soares Cassamá

Edição do material: Ivone Cassol, Tiberio Vargas Ramos e Luciano Klockner

Dados cadastrados por: Silvana Sandini

Post publicado em: 1 de junho de 2012