Personalidades » Maria Beatriz Furtado Rahde

Maria Beatriz Furtado Rahde, imagem e novos horizontes

Maria Beatriz Furtado Rahde é formada em Artes Plásticas (1962) e Licenciatura Plena em Desenho (1964) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Fez mestrado, em 1991, e doutorado, em 1997, ambos na área da educação, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Antes de se aposentar, em 2012, ela lecionava, na PUCRS, as disciplinas Semiótica, Imagem na Publicidade, Teorias de Comunicação e História da Arte para alunos da graduação, e Imagem e Pós-Modernidade, nas turmas de pós-graduação.

Sua história na PUCRS começa em 1980, quando foi convidada para trabalhar no Laboratório Áudio Visual da Faculdade de Educação pela professora Délcia Enricone. Sua tarefa era ilustrar textos trazidos pelos professores de diversos setores da universidade. Após a fundação do Centro de Toxicologia Aplicada, cujo diretor era seu irmão, Alberto Rahde, Maria Beatriz passou a prestar assessoria pedagógica, dividindo-se entre as ilustrações da Educação e a preparação de aulas no Centro de Toxicologia.

Com o falecimento de Alberto Rahde e prestes a deixar a universidade, Maria Beatriz Rahde decidiu fazer doutorado e se dedicar exclusivamente às aulas da PUCRS. Então, passou para a área de Comunicação e começou se dedicar à disciplina História da Arte, no curso de Cinema. Durante o doutorado, em 1996, recebeu o convite para atuar no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação Social, como professora e orientadora de alunos com pesquisa em comunicação e imagem.

Para a professora, a disciplina Imagem e Pós-modernidade – que faz parte da linha temática Práticas Culturais nas Mídias, Comportamentos e Imaginários da Sociedade da Comunicação – é descrita pelos alunos como uma disciplina que “abre os horizontes”. Os diversos seminários e disciplinas do Programa, na visão da professora, são momentos de encontro do professor e do aluno formado para desenvolver questões do mestrado ou do doutorado, que envolvem a produção de conhecimento para a comunidade.

No PPGCOM, os professores chegam a produzir pelo menos dois artigos por ano, publicados em revistas acadêmicas, nacionais e estrangeiras, além de estarem em constante busca e troca com instituições do exterior, através de convênios firmados com Universidades reconhecidas internacionalmente. Deste intercâmbio acadêmico, a professora destaca a passagem do professor Michel Maffesoli, palestrante do 10º Seminário Internacional de Comunicação, em 2009, promovido pelo PPGCOM, além da oportunidade de professores da pós-graduação ministrarem cursos no exterior, como foi o caso de Cristiane Freitas, João Guilherme Barone, Juremir Machado e Antonio Hohlfeldt.

Maria Beatriz Rahde também apresentou trabalhos em congressos nacionais e internacionais, como em Montpellier (França), Málaga e Santiago de Compostela (Espanha).

Do período no PPGCOM, a professora Maria Beatriz destaca alguns fatos que marcaram sua trajetória:

“As duas linhas de pesquisa do PPGCOM são momentos de encontro do professor com o aluno para desenvolver a questão do mestrado ou do doutorado. Desenvolve conhecimentos, constrói conhecimentos para a comunidade.”

“Ah! Mas, eu não me esqueço de um aluno, que eu tive que era horrível. O rei da desatenção, na sala de aula. Aos trancos e barrancos ele conseguia, com G2, passar. Nunca mais vi. De repente, ele vem para mim: ‘Professora, não sei, nada. Quero fazer a sua disciplina de novo, e queria fazer um mestrado, a senhora me aconselha que eu faça?’.”

“Isso aqui [a Famecos] é muito familiar. Por exemplo, a professora Cláudia Moura é uma pessoa que eu quero muito bem. Ela me causou uma impressão incrível quando retornava de Veneza e vinha para a Pós-graduação. Ela parecia uma menina, debruçada na ponte com um vestido de tafetá cheio de bordados. Eu estava com uma colega, artista plástica e disse assim: ‘Olha é uma fada’. A guria loira, vestido verde, debruçada numa ponte, parecia estar em um canal de Veneza. Quando entrei na Famecos, olhei para a Cláudia Moura, eu encontrei a menina, lembrei-me da imagem e nunca mais esqueci.”

“Lembro também de outra aluna do mestrado e do doutorado, que eu faço questão de dizer que foi o anjo da minha vida. Era uma pessoa que me fez crescer, que até hoje ainda me manda e-mails dizendo que eu a fiz crescer muito.”

Faleceu em 2014, após a conclusão de uma trajetória acadêmica ímpar.

 

Curso(s): ,

Década(s) de referência: 1990, 2000, 2010

Vínculo Famecos: Professor

Graduação em: Artes Plásticas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1962); Licenciatura Plena Em Desenho, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1964).

Mestrado em: Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1991).

Doutorado em: Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997).

Produção do material sobre esta personalidade: Marta Capitão (entrevista e foto)

Edição do material: Tiberio Vargas Ramos e Luciano Klockner

Dados cadastrados por: Silvana Sandini

Post publicado em: 11 de março de 2014